Consulta a valores sociais.

Agende sua Consulta e encontre Profissionais com experiência e capacitados para acompanhá-lo no momento de crise ou sofrimento emocional.


Fazer Terapia Quando? Porque?


São vários os motivos que podem nos levar á TERAPIA.

Quando em nossa vida as coisas parecem não se encaixar.
Ao perdermos alguma coisa ou alguém importante para nos.
Por ex.,quando você se torna íntima em um relacionamento, o amor aumenta.
Como resultado, sentimentos mais dolorosos, profundos que estavam guardados, mas que precisarão ser curados virão a tona.

Por estar amando você se sente mais confiante, assim ficamos confusos quando esses sentimentos, normalmente represados, vêm à tona. Para cura-los, precisamos compartilhar com outra pessoa, mas estamos com medo ou vergonha demais para revelar o que estamos sentindo. Nesses momentos, sem nenhuma razão aparente, nos sentimos deprimidos, tristes, distantes, mas isso mostra os sintomas que vieram a tona e foram bloqueados. Nesse momento mostramos aspectos de nossa personalidades que as vezes escondemos de nos mesmos, o que costumávamos ser (máscaras), começam a ser percebidas, e concluímos, desde muito cedo, aprender a ser de determinadas formas para conseguir o amor do outro.

Tentamos reprimir os sentimentos, emoções e com isso baixamos nossa auto-estima, e quando nos sentimos seguros do amor do outro, começamos a nos mostrar. Nossas máscaras também começam a nos mostrar muito dos nossos bloqueios, quando repetidos acontecimentos amorosos começam a nos acontecer. Isto é, cometemos sempre as mesmas atitudes e conseqüentemente baixamos o nosso amor próprio, julgando que não somos merecedores do amor . Se for no campo do trabalho aspecto semelhante pode correr, damos um poder ao outro para nos deixar mal,sentimentos profundos vem a tona, projetamos esses sentimentos no outro, no chefe , no colega, etc.

Se, já não nos conseguíamos, sentimos seguros para expressar esses sentimentos para nossos pais ou amigos, não teremos coragem de expressar esses sentimentos na presença do atual relacionamento, ou chefe, portanto esses sentimentos serão novamente bloqueados e isso nós torna cada vez mais insensíveis. É nesse momento que ter um aconselhamento é muito útil, quando você está com alguém em que não esteja projetando seus medos, você poderá processar sentimentos que estão vindo a tona.

 


Estar com alguém, que possa nos ouvir, ajuda-nos a elaborar os sentimentos e encontrar uma saída para assuntos, que julgamos sem solução. Num espaço afetivo e seguro, criamos uma abertura para que as emoções doloridas sejam compartilhadas. Nosso parceiro pode apenas nos ouvir e apoiar. Compreender como nosso passado continua a afetar nossos relacionamentos, mas as vezes não sentimos segurança para prosseguir falando de nosso passado. As vezes o sentimento é de aprisionamento nas experiências e dores vividas . Precisamos compreender as razões, por vezes que a vida nos fechou as portas, e principalmente, quanta vezes eu mesma participei nesse movimento de exclusão. Assim, nos libertar para aceitar o fluxo e refluxo do amor e das adversidades. Confiar no amor e no poder mágico deste, nos tornando flexíveis, compreendendo nossas máscaras (defesas) e fazendo as mudanças necessárias para que o amor, a segurança e a auto-estima flua dentro de nós.

Devemos apreender nos desapegar do passado, de experiências dolorosas, de aspectos de nossa infância, de valores, crenças socais, legados familiares e integrar novos conhecimentos e sabedoria interior, permitir-nos o perdão, superando as mágoas e ressentimentos, aprendendo a mudar através das experiências afetivas, e ao deixar de julgar, de criticar, de se vitimar, de acusar, de se omitir, você poderá criar uma relação afetiva com alguém especial, ou com muitas pessoas especiais, com amigos, familiares enfim, a terapia ensina você começar fazer uma poupança emocional!
 

Equipe do CAIFCOM

Consultor Externo - Psiq. Jeanete Rezer


- Agende sua consulta AQUI!